Menina de 5 anos estuprada e morta em Hortolândia reclamava de dores nos últimos dias, diz bisavó; padrasto confessou crimes

Home / Menina de 5 anos estuprada e morta em Hortolândia reclamava de dores nos últimos dias, diz bisavó; padrasto confessou crimes

Maria Clara Calixto Nascimento estava sumida desde a manhã de quinta-feira e foi achada dentro de caixa de papelão. Corpo da garota tinha sinais de estrangulamento e suspeito foi preso.

A bisavó da menina de 5 anos encontrada morta dentro de uma caixa de papelão, em Hortolândia (SP), contou na tarde desta sexta-feira (18) que a menina apresentava comportamento diferente nos últimos dias e relatou dores para ela. Segundo a Polícia Civil, o corpo da criança tem sinais de estrangulamento e o padrasto dela, que está preso, confessou durante depoimento que estuprou e matou a vítima. O crime provocou comoção e revolta em moradores da cidade – veja abaixo detalhes.

“Ela ia no banheiro, demorava. ‘Maria, você está tomando banho, o que está acontecendo?’. ‘Vovó, eu tô dodói’. ‘O que foi minha filha?’. ‘Eu vou fazer xixi e dói'”, conta Ilza Viana Nascimento.

Apurações

O corpo de Maria Clara foi achado em um terreno no Jardim São Felipe. Ela estava desaparecida desde a manhã de quinta-feira quando, segundo a família, saiu para brincar na casa de uma vizinha. A mãe dela, uma auxiliar de produção de 25 anos, chegou para almoçar e questionou o companheiro sobre a localização da garota. Na ocasião, ele alegou que dormiu e não viu ela sair.

A partir disso, a família começou a procurar a criança e registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Hortolândia. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), o padrasto foi localizado em Campinas (SP) na manhã desta sexta e levado à delegacia, onde confessou o crime.

O homem, que já tem passagem pela polícia por estupro, chegou a prestar depoimento na quinta-feira e disse que não sabia nada sobre o paradeiro de Maria Clara. Em seguida, ele se abrigou na casa de parentes em Monte Mor (SP), antes de tentar fugir para Campinas. Cássio Martins Camilo vai permanecer preso e será encaminhado a uma unidade prisional.

A garota foi encontrada próximo à residência dela, no bairro Vila Real, por familiares e amigos, que mantiveram a procura desde quinta-feira. A mãe da criança retirou o corpo da filha pelas próprias mãos e levou até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Nova Hortolândia, mas ela já chegou sem vida ao local. A perícia foi acionada para ir até o terreno.

“Esse indivíduo foi localizado, foi trazido até as nossas dependências e aqui ele confessou a prática do delito, onde ele teria estuprado a criança e posteriormente a matado”, destaca o delegado João Jorge Ferreira da Silva.

Equipes de reportagem foram agredidas por moradores que estavam na região e dois carros foram danificados, após o corpo ser encontrado. O delegado relata ainda que, na quinta-feira, a polícia já havia encontrado indícios de suspeita do crime. “Ontem quando os meus investigadores adentraram, a residência tinha sido lavada inteira. Mas, isso não impede a perícia de localizar indícios posteriores.”

Confusão na porta da delegacia

Após a prisão do padrasto, o clima ficou tenso no entorno da delegacia. Parentes e amigos da família da vítima foram até o local para tentar ver o suspeito. Além de xingamentos e gritos, bombas de fumaça foram jogadas na área interna do imóvel e pneus foram queimados na rua.

“A gente está sem chão. Uma menina meiga, super boazinha. Não dá para esquecer”, falou a tia-avó da menina, Adriana Viana Nascimento.

A mãe da criança já prestou depoimento à polícia. A instituição ainda investiga se o padrasto agiu sozinho ou se há outras pessoas envolvidas no crime.

Fonte:  EP TV 218/12/2020

Todos os dias, cerca de 40 crianças são vítimas de abuso sexual no Brasil. Mas nem todas dão andamento nos casos. Todos somos responsáveis por mudar este cenário. Abuso sexual é crime, se souber de algo, denuncie!

Clique aqui e ajude a transformar a história de uma criança agora!

Conheça mais histórias