CONHEÇA ALGUMAS HISTÓRIAS

Agressividade: O sinal que fez com que Mariana parasse de sofrer abusos sexuais

Mariana*, aos 14 anos, aparentava ser uma adolescente agressiva na escola. Nenhum colega podia encostar nela que já queria agredir. Se durante alguma atividade física, algum menino esbarrasse na jovem, Mariana já o empurrava e começava a chorar…

Gabriel, aos 10 anos, sofria abuso sexual em troca de presentes

Gabriel*, de apenas 10 anos, morava com sua mãe na grande São Paulo quando recebeu um convite para auxiliar um rapaz a vender DVDs na feira, em troca, receberia R$ 10 toda vez que fosse ajudá-lo. Com a autorização da mãe, Gabriel ia semanalmente vender DVDs dos mais variados gêneros…

O abuso sexual pode estar em casa. Conheça a história de duas irmãs que foram abusadas

Giovanna* e Helena* moravam em Diadema (SP) com seus pais. Com diferença de apenas 1 ano de idade, as duas eram muito unidas, inclusive, na escola. Giovanna, de 8 anos, era a irmã mais calma e tímida, não interagia muito com as demais crianças…

Abuso sexual não tem gênero. Conheça a história de Felipe

Felipe, de 12 anos, aparenta ser um jovem tímido e retraído, que não costuma conversar muito sobre sua rotina em casa. Na escola, busca participar de todas as atividades, mas sempre que envolvem assuntos pessoais, ele tenta mudar o foco ou até responder de maneira agressiva…

Imprima abaixo os cartazes da campanha “Pode ser Abuso” e compartilhe com seus amigos

CONSEQUÊNCIAS DO
ABUSO

O abuso sexual infantil é uma violência irreversível que, muitas vezes, carrega consigo diversas outras violações de direitos como a agressão física, negligência e humilhação, podendo, na maioria dos casos, deixar marcas para a vida toda.

As consequências resultantes do abuso sexual são inúmeras, principalmente para as crianças e os adolescentes, que podem até ter o pleno desenvolvimento comprometido.

Conheça algumas marcas que esta violação pode causar para vida de quem foi vítima:

Consequências físicas:

  • Hematomas, contusões e fraturas;
  • Doenças sexualmente transmissíveis como gonorreia, sífilis, aids, entre outras;
  • Lesões genitais;
  • Gestação.

Consequências sociais:

  • Evasão ou defasagem escolar;
  • Isolamento;
  • Solidão;
  • Distúrbios psicológicos e emocionais que afetam na vida profissional.

Consequências psicológicas:

  • Dificuldade de adaptação afetiva;
  • Autodesvalorização;
  • Dificuldade para se relacionar quando adulto;
  • Distúrbios sexuais como aversão ao ato sexual, desprazer e incapacidade de sentir orgasmos;
  • Problemas de personalidade como ansiedade, psicose e histeria;
  • Agressividade e uso de drogas;
  • Depressão causada pelo sentimento de culpa e/ou baixa autoestima;
  • Suicídio.

Todos somos responsáveis por quebrar o silêncio e mudar este cenário. Abuso sexual é crime, denuncie!